Wakabayashi exibe seu trabalho mais recente em produção - Galeria22
A Galeria 22 está no mercado há mais de 20 anos e procura levar aos seus clientes o que há de melhor na arte brasileira, sempre com o objetivo de valorizar o investimento de quem se interessa por esse mercado.
galeria, obra de arte, escultura, pintura, gravura, desenho, artistas brasileiros, exposições
20665
post-template-default,single,single-post,postid-20665,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.4,vc_responsive

Wakabayashi exibe seu trabalho mais recente em produção

Wakabayashi exibe seu trabalho mais recente em produção

(Créditos: Divulgação)

 

O artista nipo-brasileiro Kazuo Wakabayashi apresenta durante os dias 19 a 28 de outubro a individual Wakabayashi – Xogum de todas as cores e texturas na Sociarte. A mostra reúne 25 obras da produção mais recente do artista, entre pinturas e gravuras realizadas ao longo dos últimos dois anos.

Wakabayashi é o nome por trás da logomarca da Comemoração do 110º Aniversário da Imigração Japonesa no Brasil. Dono de uma obra abstrata, marcada pela incessante experimentação e pesquisa de técnicas, suas telas e gravuras apresentam elementos figurativos orientais, que se misturam com o cromatismo exuberante brasileiro.

“O Brasil é um paraíso para a arte e sua fluidez. Aqui eu pude ser livre e dar vazão aos meus sentimentos por meio da pintura”, afirma o artista

 

(Créditos: Divulgação)

Quando chegou ao Brasil, em 1961, aos 30 anos de idade, Wakabayashi já se apresentava como um artista maduro – fruto de um rigoroso aprendizado a que fora submetido enquanto jovem. O pintor trazia nas malas o peso da Guerra – quando adolescente, encarou de frente suas desgraças quando Kobe, sua cidade natal, foi bombardeada.

Hoje, aos 86 anos de idade, Wakabayashi ainda trabalha de domingo a domingo, dedicando grande parte de seus dias a seu ateliê – instalado aos fundos de sua casa, no Jabaquara, zona sul da capital paulista.

“Meu sonho é morrer no ateliê, mas meu coração não tem colaborado – ele é muito forte”, brinca o artista, explicitando sua íntima conexão com a arte do qual é discípulo.

  •  Sociarte – Av. Dr. Arnaldo, 1324 – Sumaré, São Paulo
    + Ver mapa
  •  20/10/2017 a 28/10/2017
  •  segunda a sexta: 09h às 17h. Sábado: 10h às 14h.
  •  Entrada Gratuita.

Fonte: Site – O Beijo