Organizada em torno de uma feira com conceito curatorial inovador, a Semana de Arte apresenta uma série de espetáculos e atividades paralelas, oferecendo uma experiência singular

Esta é a primeira vez que São Paulo recebe a “Semana da Arte”, que acontece até domingo na cidade. O evento foi organizado pelos galeristas Luisa Strina e Thiago Gomide, pelo curador Ricardo Sardenberg e pelo empresário cultural Emilio Kalil, com o propósito de celebrar, discutir e ampliar um mercado que vem crescendo de forma ímpar nos últimos 15 anos, na cidade que se consolidou como seu epicentro.

O evento se organiza em torno das artes visuais, mas apresenta em paralelo uma série de espetáculos de artes cênicas, música, dança, cinema e literatura espalhados por diversos espaços, passando por um ciclo de palestras com direito a convidados internacionais e uma série de passeios arquitetônicos.

Feira de arte

O ponto alto da semana é feira de arte, com conceito curatorial inovador, que reunirá um seleto time de galerias do Brasil e do mundo. Em meio a um calendário internacional repleto de feiras de arte, o evento pretende se diferenciar se apresentando através de um novo formato, onde os mercados primário e secundário não serão divididos em seções distintas e os estandes – dispostos sem hierarquia, sempre ocupando espaços entre 25 e 33 metros quadrados – passarão pela curadoria de Ricardo Sardenberg, focada na criação de um fluxo entre os espaços de cada expositor e num envolvimento mais profundo tanto com as obras à mostra quanto com a proposta das próprias galerias.

As galerias, por sua vez, apresentarão projetos especiais – sejam mostras individuais, diálogos entre dois artistas ou em torno de temas específicos. É o caso da remontagem da sala da Bienal Internacional de Arte de São Paulo de 1977 do artista Ridyas, falecido aos 30 anos, em 1979, e de uma mostra focada no Dadaísmo e no Surrealismo e seus desdobramentos na arte brasileira da primeira metade do Século XX. A diversidade de nomes, períodos e procedências chama a atenção: de Lygia Clark, Hélio Oiticica, Dadamaino e Martin Kippenberger a Marcius Galan, Amalia Giacomini, Los Carpinteros e Carlos Bunga.

Entre as participantes estão casas que não costumam frequentar o circuito brasileiro com assiduidade, como Luhring Augustine e Alexander and Bonin (ambas de Nova York). Entre os nomes nacionais, estão algumas das principais e mais interessantes galerias do país. Na contramão do modelo de inscrições abertas comum às grandes feiras que se multiplicam pelo calendário mundial, todas as participantes foram selecionadas e convidadas pela organização da Semana de Arte. A feira acontece de 18 a 20 de agosto no Hotel Unique.