15ª edição da Frieze London exibe seis galerias brasileiras - Galeria22
A Galeria 22 está no mercado há mais de 20 anos e procura levar aos seus clientes o que há de melhor na arte brasileira, sempre com o objetivo de valorizar o investimento de quem se interessa por esse mercado.
galeria, obra de arte, escultura, pintura, gravura, desenho, artistas brasileiros, exposições
20631
post-template-default,single,single-post,postid-20631,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.4,vc_responsive

15ª edição da Frieze London exibe seis galerias brasileiras

15ª edição da Frieze London exibe seis galerias brasileiras

Em paralelo, a Frieze Masters também conta com mais quatro brasileiras

Até domingo, Londres recebe mais uma edição da Frieze, desta reunindo mais de 160 galerias de trinta e um países. Entre as principais galerias do mundo, participam as brasileiras A Gentil Carioca, Fortes D’Aloia & Gabriel, Galeria Jaqueline Martins, Mendes Wood DM, Galeria Luisa Strina e Vermelho. Já a Frieze Masters, que traz uma seleção de galerias e obras que abrangem seis mil anos de produção da história da arte, conta com as brasileiras Berenice Arvani, Bergamin e Gomide, Dan Galeria e Fortes D’Aloia & Gabriel.

A Frieze se estabeleceu como um evento global de arte, onde os principais curadores e colecionadores podem sentir a pulsação da arte clássica e contemporânea. Enquanto isso, sua irmã mais nova, a Frieze Masters, exibe arte da era antiga e obras de grandes mestres, até o final do século XX. Além dessas feiras, que acontecem no Regent’s Park de Londres, duas outras feiras independentes acontecem na mesma semana: SUNDAY, na Ambika P3, focada em galerias emergentes, e a 1:54, na Somerset House, trazendo a arte africana contemporânea para a cidade.

Reza Aramesh, ‘Metamorphosis – A Study in Liberation’, 2017, Leila Heller Galler. Frieze Sculpture 2017. Photo: Stephen White. Image courtesy Stephen White/Frieze.

Reza Aramesh, ‘Metamorphosis – A Study in Liberation’, 2017, Leila Heller Galler. Frieze Sculpture 2017. Photo: Stephen White. Image courtesy Stephen White/Frieze.

Nesta edição, a curadoria da Frieze Talks fica pela primeira vez por conta de Ralph Rugoff, da Hayward Gallery. O programa contará com palestrantes e artistas como Dominique Gonzalez-Foerster e Nástio Mosquito. A feira de 2017 também contará com uma nova seção temática, dedicada ao legado de artistas feministas radicais: “Sex Work: Feminist Art & Radical Politics”, organizado pela curadora independente Alison M. Gingeras. Apresentando nove individuais de artistas mulheres, a seção traz obras de Betty Tompkins, Penny Slinger e Marilyn Minter, entre outras. Já a seção Special Projects inclui a artista multimídia de Joanesburgo, Donna Kukama, que trabalha na “fronteira entre ficção e realidade”. Ela foi a vencedora do Standard Bank Young Artist Award de Performance. Seu projeto envolverá participação e interação com uma exibição de plantas medicinais fora da feira.

Diferente dos anos anteriores, este ano o Frieze Sculpture Park já ocupa o The English Gardens do Regent’s Park desde julho. Todas as 25 esculturas em exibição foram selecionadas por Clare Lilley, diretora do Yorkshire Sculpture Park, e incluem obras de artistas do século 20 e contemporâneos, como Magdalena Abakanowicz, Rasheed Araeen, Urs Fischer, KAWS, Alicja Kwade, Michael Craig-Martin, Ugo Rondinone e Sarah Sze. As esculturas permanecem em exibição até o final das feiras.

Fonte: TouchofClass