Galeria22 | FIAC Art Fair chega em sua 44ª edição em Paris
A Galeria 22 está no mercado há mais de 20 anos e procura levar aos seus clientes o que há de melhor na arte brasileira, sempre com o objetivo de valorizar o investimento de quem se interessa por esse mercado.
galeria, obra de arte, escultura, pintura, gravura, desenho, artistas brasileiros, exposições
20659
post-template-default,single,single-post,postid-20659,single-format-standard,theme-bridge,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.4,vc_responsive

FIAC Art Fair chega em sua 44ª edição em Paris

FIAC Art Fair chega em sua 44ª edição em Paris

FIAC se destaca, mais uma vez, como um dos principais eventos culturais da Cidade da Luz

Este ano são 29 países representados por 192 galerias, onde são esperados em torno de 70 mil visitantes durante os quatro dias de evento. A feira acontece entre os dias 19 e 22 de outubro.

Depois de consecutivas oscilações entre estratégias de programas tão variadas, o evento agora parece ter encontrado uma receita que se adequa não apenas ao público em geral, mas também a colecionadores, críticos de arte e até profissionais. Concilia, ao mesmo tempo, qualidade artística e ampla acessibilidade.

Como todos os anos, o epicentro do evento está sob a nave do Grand Palais, onde a seção principal está em exibição, reunindo as galerias mais prestigiadas no mercado de arte contemporânea. Ou seja, cerca de uma centena de marcas, nomes franceses e internacionais, numa proporção que parece ser a norma para eventos desse tipo: um quarto são locais, os outros são provenientes do exterior – incluindo a brasileira Mendes Wood DM.

As galerias forams elecionadas pelo comitê composto por oito especialistas: Olivier Antoine, Gisela Capitain, Mark Dickenson, David Fleiss, Solène Guillier, Jan Mot, Emmanuel Perrotin e Christophe Van de Weghe. Dos 192 participantes, 40 galerias participam da FIAC pela primeira vez e seis novos países estreiam na feira: Egito, Kosovo, Noruega, Portugal, Suécia e Tunísia.

A nata das galerias internacionais

Sempre há os nomes mais fiéis, como é o caso de galerias como Karsten Greve, Barbara Gladstone, Chantal Crousel, Nathalie Obadia, Larry Gagosian, Michael Werner e David Zwirner. No Grand Palais, os visitantes habituais de todo o mundo podem se abastecer de obras-primas cujas etiquetas de preços possuem mais de alguns zeros. Como em 2016, a seção principal se junta aos participantes do Salon Jean-Perrin, que recebe cerca de vinte galerias reconhecidas pela promoção de grandes artistas.

Aqueles que estão à procura de renovação devem dirigir-se às galerias superiores do Grand Palais, onde são apresentadas as chamadas galerias contemporâneas “emergentes”.

Experiências ao ar livre

Além das atrações dentro do Grand Palais, a FIAC também apresenta um programa ao ar livre. Ali perto, a seção On Site apresenta cerca de quarenta instalações e esculturas monumentais no prestigiado cenário do Petit Palais e seus jardins, assim como na Avenida Winston-Churchill, que separa os dois edifícios. Entre as dezenas de trabalhos em exibição, os visitantes podem apreciar as muralhas de almofadas presas às paredes da artista Sheila Hicks, um autorretrato em estilo antigo de Alina Szapocznikow e criações de Peter Buggenhout, Antonio Caro, Claude Closky, Johan Creten e Ida Ekblad.

Fonte: TouchofClass