Lehmann Maupin leva OS GEMEOS para primeira individual em Hong Kong - Galeria22
A Galeria 22 está no mercado há mais de 20 anos e procura levar aos seus clientes o que há de melhor na arte brasileira, sempre com o objetivo de valorizar o investimento de quem se interessa por esse mercado.
galeria, obra de arte, escultura, pintura, gravura, desenho, artistas brasileiros, exposições
21535
post-template-default,single,single-post,postid-21535,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.4,vc_responsive

Lehmann Maupin leva OS GEMEOS para primeira individual em Hong Kong

Lehmann Maupin leva OS GEMEOS para primeira individual em Hong Kong

Lehmann Maupin leva OS GEMEOS para primeira individual em Hong Kong

0

Dupla de artistas brasileiros tem estreia na cidade durante a Art Basel Hong Kong

 A galeria Lehmann Maupin anunciou Déjà Vu, primeira exposição individual da dupla OSGEMEOS em Hong Kong. Os irmãos Gustavo e Otavio Pandolfo desenvolveram um estilo internacionalmente reconhecido, nascido de influências na cultura pop, música, arte popular e seus vívidos mundos internos. Déjà Vu apresenta novas pinturas e uma instalação sonora dos artistas que, ao longo dos anos, tornaram-se procurados para inúmeras colaborações e obras comissionadas, transformando edifícios e espaços públicos por toda a Europa, América do Sul e Estados Unidos.

Conhecidos pelo estilo figurativo que normalmente caracteriza seus típicos personagens amarelos, contornados em vermelho escuro e intrincadamente padronizados, OSGEMEOS entraram no cenário artístico no final dos anos 80 como grafiteiros no Cambuci, seu bairro de origem em São Paulo. Inicialmente influenciados pelo movimento do grafite vindo de Nova York, eles foram inspirados pela ingenuidade e desenvoltura evidente em sua vizinhança da classe trabalhadora, e procuraram tornar sua arte acessível à comunidade como uma forma de contribuir com um senso de otimismo.

O Déjà Vu amplia a abordagem de exposição dos OSGEMEOS para uma experiência imersiva e multisensorial, como exemplificado em seus outros programas internacionais. A exposição presta homenagem à música, em particular através da instalação Carnaval Branco (2016), onde os artistas pintaram seus personagens diretamente em alto-falantes em uma formação que se assemelha a um coro.

Pinturas mais tradicionais, de uma recente série de trabalhos, prestam homenagem ao final dos anos 1970 e início dos anos 80, período que representa a maioridade dos artistas. Esta época, considerada a idade de ouro do hip-hop, está intrinsecamente ligada à sua prática com comparações evidentes na estrutura improvisada e nas descrições da vida cotidiana das ruas. Outras telas refletem sobre experiências vividas e imaginadas que os artistas compartilham, incluindo motivos alegóricos como a água, a lua e as estrelas, que há muito aparecem em seu trabalho, traduzidas vividamente para evocar um estado de sonho lúcido.

Semelhante aos artistas surrealistas do início do século 20, os OSGEMEOS procuram desafiar as convenções e ultrapassar os limites da arte e da sociedade através da exploração desenfreada do subconsciente e da imaginação. Em contraste direto com a noção surrealista de um espaço de sonho solitário, os irmãos descrevem uma intuição compartilhada e uma experiência subconsciente que é traduzida visualmente por meio de seu processo colaborativo. Através de sua arte, OSGEMEOS buscam empoderar seu público a considerar seu próprio subconsciente.

OSGEMEOS são uma dupla de arte colaborativa composta pelos irmãos gêmeos Gustavo e Otavio Pandolfo (n. 1974, São Paulo, Brasil; moram e trabalham em São Paulo). Exposições individuais de seus trabalhos foram organizadas no Institute of Contemporary Art, Boston (2012); Berardo Collection Museum, Lisboa (2010); e Museum Het Domein, Sittard, Holanda (2007), entre outros. A participação em exposições coletivas incluem Art in the Streets, Museum of Contemporary Art, Los Angeles (2011); Viva la Revolucion: A Dialogue with the Urban Landscape, Museum of Contemporary Art, San Diego (2010); and When Lives Become Form: Creative Power from Brazil, Museum of Contemporary Art, Tokyo (2008).

O trabalho da dupla está em numerosas coleções públicas internacionais, incluindo The Franks-Suss Collection, Londres; Museu de Arte Moderna, São Paulo; Museu de Arte Brasileira, São Paulo; e Museum of Contemporary Art, Tokyo. Em 2014, OSGEMEOS participaram da Vancouver Biennial.

Grandes obras comissionadas incluem HangarBicocca, Milão (2016); Parallel Connections, Times Square Arts: Midnight Moment, Nova York (2015); Wynwood Walls, Miami (2009); Tate Modern, Londres (2008); e Creative Time, Nova York (2005).

Fonte: TouchofClass