Galeria22 | Nova York recebe a Frieze Week com uma programação ambiciosa
A Galeria 22 está no mercado há mais de 20 anos e procura levar aos seus clientes o que há de melhor na arte brasileira, sempre com o objetivo de valorizar o investimento de quem se interessa por esse mercado.
galeria, obra de arte, escultura, pintura, gravura, desenho, artistas brasileiros, exposições
19366
post-template-default,single,single-post,postid-19366,single-format-standard,theme-bridge,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.4,vc_responsive

Nova York recebe a Frieze Week com uma programação ambiciosa

Nova York recebe a Frieze Week com uma programação ambiciosa

 

A Frieze chega novamente à Nova York, acompanhada de um número imenso de eventos e atividades paralelas durante toda a semana, até o dia 7 de maio. Desde que a feira londrina inaugurou este braço em Nova York, em 2012, a cidade oferece neste período um vasto cardápio, com as galerias, instituições e organizações de arte apresentando seus projetos e exposições mais importantes e audaciosos.

A Frieze Nova York acontece entre 5 e 7 de maio na Randall’s Island Park. A expectativa é que a Frieze enfrente seu primeiro grande desafio com a presença paralela da TEFAF Nova York. Agora em seu sexto ano, a gigantesca tenda branca na Randall’s Island hospedará novamente mais de 200 galerias internacionais. Talvez em resposta à chegada da TEFAF, conhecida por suas ofertas de grandes mestres e arte moderna, a Frieze pega emprestado o modelo da Frieze Masters de Londres e, pela primeira vez, coloca lado a lado a arte moderna e contemporânea.

Como parte desse esforço, a seção Spotlight da feira contará com estandes individuais de 31 artistas pioneiros do século XX, incluindo o teólogo e monge beneditino Dom Sylvester Houédard, poeta concreto e figura importante na cena contra-cultura dos anos 60, na Richard Saltoun Gallery (Londres). Além disso, pela primeira vez os expositores Donald Ellis (Nova York e Vancouver), L & R Entwistle and Co. (Londres) e Galerie Meyer Oceanic Art (Paris) – todos originalmente presentes na Frieze Masters – apresentarão uma seleção de arte tribal, reconhecendo a influência de tal trabalho para os artistas de vanguarda do século XX.

Presença brasileira

Dentre os nomes confirmados para a feira, estarão presentes 11 galerias brasileiras. Na seção principal, estarão Casa Triângulo, Fortes D’Aloia & Gabriel, Mendes Wood DM, Galeria Nara Roesler, Galeria Luisa Strina e  Vermelho. Na seção Frame, a Galeria Jaqueline Martins destaca as obras de Hudinilson Jr. Já na seção Spotlight, marcam presença as galerias Raquel Arnaud (com Willys de Castro), Silvia Cintra + Box 4 (Amilcar de Castro) e Marilia Razuk (Julio Plaza). E na seção Focus, A Gentil Carioca encerra a lista das presenças nacionais.

Outros destaques incluem os projetos comissionados da Frieze Projects, mais uma vez organizadas por Cecilia Alemani, diretora de arte e curadora-chefe da High Line. Haverá uma reestruturação da exposição experimental de 1968 “Il Teatro delle Mostre” da romana Galleria La Tortuga, com projetos de artistas atuais explorando a performance e o processo. Além de revisitar o trabalho histórico da mostra original, haverá novos trabalhos de Ryan McNamara e Adam Pendleton.

TEFAF Nova York

Depois de três edições bem recebidas, a antiga Spring Masters renasceu como a vertente nova-iorquina da famosa TEFAF de Maastricht, Europa. Esta edição terá enfoque na arte moderna e contemporânea e no design. A feira acontece entre 4 e 8 de maio, no Park Avenue Armory.

Realizada em Nova York durante o outono, a TEFAF Nova York terá sua primeira edição da primavera este ano. A mostra também contará com joias e arte africana e da Oceania. De acordo com o site da feira, “a inclusão de obras africanas, da Oceania e também arte antiga vai cimentar a estética coerente que é popular entre colecionadores contemporâneos e modernos”. Apesar de toda a pompa, a TEFAF é uma excelente oportunidade de ver objetos de design de última geração antes que eles provavelmente desapareçam nas mãos de colecionadores.

lygia-pape-multitude

Feiras e eventos paralelos

Uma semana não será tempo suficiente para aproveitar todas as exposições e eventos que ocupam a cidade. Feiras paralelas aproveitam o embalo da Frieze Nova York para atrair colecionadores e apreciadores da arte, com destaque para a estreia da Superfine! e as aparições “fora de época” como a Spring/Break e a TEFAF Nova York.

Em sua terceira edição, a 1:54 Contemporary African Art Fair – que leva este nome em referência aos 54 países da África – recebe 19 galerias internacionais, levando em conta o recente interesse do mercado pela arte deste continente.

Outras feiras como a Art New York, CONTEXT New York, Antique Garden Furniture Fair, CONCEPTION ART FAIR, Collective Design e Portal, entre outras, complementam a programação.

Para aqueles que vão esticar a estadia na cidade, vale conferir com mais calma algumas exposições que permanecerão em cartaz mesmo depois da Frieze Week. Como é o caso de “Descension”, instalação de Anish Kapoor no Brooklyn Bridge Park, ou a retrospectiva de Lygia Pape no Met Breuer.

Por fim, no Whitney Museum od American Art, acontece até 11 de junho a Whitney Biennial, apresentando 63 artistas.
Fonte: Touch of Class